Notícias


Bell leva helicóptero quase até o topo do Monte Everest

Aviões a jato podem voar alto. Já o helicópteros, nem tanto. Porém,...


Cemitério de metal: o que acontece quando um avião é aposentado?

Centenas de milhares de voos ocorrem todos os anos no mundo inteiro,...


Crise no Brasil faz companhias aéreas do Pacífico deixarem o país

Uma sequência de fatores tem feito com que as companhias aéreas de países banhados pelo Oceano...



WebMail

webmail
Combustível adulterado pode ter provocado acidente com Huck e Angélica PDF Imprimir E-mail
  • Combustível adulterado pode ter provocado acidente com Huck e Angélica

O Globo
26/05/2015 | 15:33
 POR MARIANA SANCHES

Essa é uma das linhas de investigação de técnicos da FAB, que recolhem amostras da aeronave para análise em São José dos Campos

Combustível adulterado pode ter provocado acidente com Huck e Angélica

SÃO PAULO - O Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa), da Força Aérea Brasileira (FAB), investiga se o avião que levava os apresentadores Luciano Huck e Angélica a Campo Grande voava com combustível adulterado ou contaminado na hora do acidente. No último domingo, a aeronave modelo Embraer 820 apresentou falhas no sistema de abastecimento de combustível, o que levou o piloto a fazer um pouso forçado no pasto de uma fazenda em Mato Grosso do Sul. Os apresentadores, os três filhos, as duas babás e a tripulação sofreram apenas ferimentos leves.

 

Equipes de investigação da FAB e da Embraer estão no local do acidente, a 30 quilômetros do Aeroporto Internacional de Campo Grande (MS), para retirar o sistema de combustível da aeronave. Foram coletadas amostras do combustível, do óleo do motor e dos filtros de combustível. “Todas as amostras recolhidas serão levadas para o Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial (DCTA), localizado em São José dos Campos (SP)”, informou a FAB, em nota.

 

Adulteração ou contaminação do combustível é apenas uma das linhas de pesquisa adotadas pelos técnicos. O Cenipa admite que sujeira no combustível é uma potencial causa de queda de aeronaves. No ano passado, por exemplo, o órgão deu um alerta de contaminação de um tanque em Brasília. Na ocasião, aviões abastecidos com o material suspeito foram instruídos a esvaziar os tanques e limpá-los.

Não há prazos para os resultados das análises do material nem para o fim das investigações. A média mundial de tempo para determinar a causa de um acidente áereo é de 18 meses.

 

Experiência

10anos

Sitemap

mapa-site

Produtos em Destaque



Rua Bulhões Marcial, Nº 879 - Vigário Geral - Rio de Janeiro - RJ
contato@equimec-rgse.com.br
Telefone: +55 21 3681-2904 /3448-5023 Fax: +55 21 3352-7240

Desenvolvido por abc design ltda.. XHTML CSS.