Notícias


Bell leva helicóptero quase até o topo do Monte Everest

Aviões a jato podem voar alto. Já o helicópteros, nem tanto. Porém,...


Cemitério de metal: o que acontece quando um avião é aposentado?

Centenas de milhares de voos ocorrem todos os anos no mundo inteiro,...


Crise no Brasil faz companhias aéreas do Pacífico deixarem o país

Uma sequência de fatores tem feito com que as companhias aéreas de países banhados pelo Oceano...



WebMail

webmail
Dubai Air Show mostra que indústria americana fecha o cerco ao Embraer A-29 Super Tucano PDF Imprimir E-mail
  • Dubai Air Show mostra que indústria americana fecha o cerco ao Embraer A-29 Super Tucano

Plano Brasil
15/11/2015 | 10:43
 

Por Roberto Lopes

Em Dubai o A-29 brasileiro foi apresentado com uma pintura inovadora, mais estlizada e chamativa

No capítulo dos monomotores armados, a mostra internacional Dubai Airshow 2015, que terminou nesta quinta-feira (12.11) no Dubai World Center, nos Emirados Árabes Unidos, provou que a indústria aeronáutica americana não está parada assistindo o sucesso comercial do Embraer 314 Super Tucano (A-29 na Força Aérea Brasileira).

 

Os Estados Unidos levaram para a feira aérea o seu IOMAX Archangel – um desenvolvimento do conhecido AT-802 Border Patrol Aircraft (BPA) – e o (muitas vezes remodelado) AT-6 Wolverine, que já perdeu várias concorrências internacionais para o Tucano brasileiro, mas a Beechcraft insiste em oferecer ao mercado, amparada no fortíssimo apoio institucional de Washington – equação que o fez ser adotado, por exemplo, pelas Forças Armadas Mexicanas.

A sequência mostra o “severo” IOMAX Archangel e o conhecido Beech AT-6, na versão Wolverine

No Oriente Médio, apesar de as transações de aeronaves militares estarem normalmente associadas aos modelos high tech de interceptadores e caças-bombardeiros, o segmento das lentas aeronaves de ataque leve ao solo ganhou extraordinária força, nos últimos quatro meses, diante da multiplicação de informações sobre avanços dos terroristas do Estado Islâmico no Iraque, na Síria e no Afeganistão.

Repasse – Assim, em Dubai, enquanto a Embraer celebrava a venda de meia-dúzia de A-29s para a Força Aérea do Líbano, os americanos se esforçavam por dar o maior destaque possível ao início do recebimento, pela Aviação Militar dos Emirados, em meados do ano, de 24 monomotores Archangel.

O avião, cujo projeto é o de uma modesta aeronave agrícola, vem sendo transformado em um sofisticado aarelho de ataque ao solo – de cabine fechada de teto reto, que lembra o fumigador Ipanema, da própria Embraer, e até o venerando Hurricane britânico da 2ª Guerra Mundial.

O super-artilhado IOMAX Archangel lembra as linhas do inofensivo Ipanema, da Embraer, e até o design do famoso Hurricane, da 2ª Guerra Mundial

A direção da empresa americana IOMAX está particularmente animada com as perspectivas de que o uso da aeronave possa ser estendido a outras força aéreas do Golfo. E a verdade é que há motivos para otimismo.

O avião já voa com as cores da Força Aérea Iraquiana, e – com o “incentivo político” do governo da Arábia Saudita – a Aviação dos Emirados já repassou alguns de seus AT-802 às unidades de ataque aéreo da Jordânia e do Egito.

IOMAX AT-802 com as cores da Força Aérea Iraquiana

Fortaleza Voadora – Movido por um confiável propulsor Pratt & Whitney PT6A-67F, o Archangel apresentado em Dubai transporta bombas guiadas do tipo Paveway II GBU-12/58, para bombardeios de alta precisão, mísseis AGM-114 Hellfire, para ataques a colunas de veículos em movimento e outros alvos terrestres, e os chamados foguetes guiados CiRit, pendurados em seis pontos duros sob as asas da aeronave.

Nesse momento, o Archangel está, inclusive, tentando diversificar seu arsenal.

Os projetistas do avião inscreveram-no para receber os novíssimos – e levíssimos – mísseis multifunção Thales FreeFall, a bomba turca Teber guiada a laser (nas versões de 250 e de 500 libras), e o míssil antitanque de longo alcance UMTAS. Um pod para o canhão GAU-19 12.7 mm Gatling também aparece como opção.

Um dos AT-802 repassados pela Força Aérea dos Emirados Árabes Unidos à Aviação Militar Jordiana, em voo de teste; notar que nem todos os “pontos duros” sob as asas estão sendo usados

O Archangel é hoje um competidor especialmente perigoso para a Embraer, porque ele não procura inovar apenas no item armamento. A aeronave foi dotada de uma torreta eletro-óptica/infravermelha (EO/IR) alojada em um pod que também pode ser modificado para transportar um radar de abertura sintética.

Além disso, o avião é capaz de transportar um radar de tiro para alvos móveis no solo e datalinks de diferentes modelos e funções.

 

Experiência

10anos

Sitemap

mapa-site

Produtos em Destaque



Rua Bulhões Marcial, Nº 879 - Vigário Geral - Rio de Janeiro - RJ
contato@equimec-rgse.com.br
Telefone: +55 21 3681-2904 /3448-5023 Fax: +55 21 3352-7240

Desenvolvido por abc design ltda.. XHTML CSS.