Notícias


Bell leva helicóptero quase até o topo do Monte Everest

Aviões a jato podem voar alto. Já o helicópteros, nem tanto. Porém,...


Cemitério de metal: o que acontece quando um avião é aposentado?

Centenas de milhares de voos ocorrem todos os anos no mundo inteiro,...


Crise no Brasil faz companhias aéreas do Pacífico deixarem o país

Uma sequência de fatores tem feito com que as companhias aéreas de países banhados pelo Oceano...



WebMail

webmail
Crise econômica faz empresas aéreas reduzirem voos para os EUA PDF Imprimir E-mail
  • Crise econômica faz empresas aéreas reduzirem voos para os EUA

Folha de São Paulo
14/11/2015 | 02h00
 

Giuliana Vallone

Aviões da TAM em aeroporto em São Paulo

Prejudicadas pela desaceleração econômica no Brasil, as companhias aéreas estão reduzindo a oferta de voos no país como forma de compensar a forte redução na demanda decorrente da crise.

 

Entre os destinos internacionais, as operações para os Estados Unidos têm sido o principal alvo dos cortes. A avaliação das empresas é que a procura por esses voos foi especialmente afetada, dada a alta de mais de 44,7% no em 2015.

"Uma coisa que tem ficado mais clara, inclusive nos movimentos da indústria, é que a demanda entre o Brasil e os Estados Unidos foi muito impactada pela alta do dólar. Temos, sim, visto uma redução de oferta, porque esse mercado se contraiu de forma mais acentuada do que os outros", afirma Claudia Sender, presidente da TAM.

A companhia cancelou os três voos semanais entre Miami e Belo Horizonte, a partir de março de 2016, e de um dos cinco que saem de Manaus para o mesmo destino, em abril. Os voos de São Paulo para Nova York, hoje 14 por semana, cairão para dez, também em abril.

A Gol, por sua vez, deixará de operar voos regulares para Miami e Orlando em fevereiro —hoje, realiza 14 voos semanais para as duas cidades norte-americanas. As rotas passarão as ser operadas de forma sazonal, apenas durante a alta temporada brasileira (de dezembro a fevereiro e de junho a agosto).

A queda na procura também atingiu companhias dos EUA: American Airlines e Delta anunciaram cancelamento de rotas no Brasil, de Campinas para Miami e Nova York e de Brasília para Atlanta, respectivamente.

RESULTADOS
Nesta sexta-feira (13), a Latam, resultado da fusão entre a chilena LAN e a brasileira TAM, anunciou prejuízo líquido de R$ 401 milhões, causado, principalmente, pelo mau desempenho do mercado brasileiro. E a expectativa não é de melhora no curto prazo, de acordo com Sender.

Por isso, a empresa já começou a reduzir capacidade também no mercado doméstico —o corte foi de 5,9% em setembro. No quarto trimestre, os cortes podem chegar a 10% e devem continuar no próximo ano.

"Projetando a redução feita em 2015 para o ano que vem, já teríamos redução de capacidade em torno de 5%", diz Sender. Nas projeções da companhia para 2016, a redução de voos internos no Brasil varia de 6% a 9%.

"Acreditamos que o Brasil ainda possa ter um ano difícil em 2016 e, por isso, deixamos espaço para uma redução um pouco maior."

No mesmo período, a Gol registrou prejuízo líquido de R$ 2,13 bilhões no terceiro trimestre. O resultado trimestral, o pior da história da companhia, segundo a consultoria Economatica, é um salto ante o saldo negativo de R$ 245,1 milhões no mesmo período de 2014.

 

Experiência

10anos

Sitemap

mapa-site

Produtos em Destaque



Rua Bulhões Marcial, Nº 879 - Vigário Geral - Rio de Janeiro - RJ
contato@equimec-rgse.com.br
Telefone: +55 21 3681-2904 /3448-5023 Fax: +55 21 3352-7240

Desenvolvido por abc design ltda.. XHTML CSS.